Mamma Vendetta nasceu livre, livre de conceitos ou direções pré-estabelecidas, somente a idéia de juntar o melhor da música e todos as formas de expressão artística ou manifestos ligados ao mundo independente. Mamma Vendetta é muito mais que uma agência de shows, funciona como uma verdadeira comunidade que agora coloca os pés para fora do gueto numa tentativa de mostrar ao mundo a variedade e atitude da arte independente elevando-a a outro nível. A família Vendetta iniciou suas atividades em 2009 trazendo alguns dos mais criativos e excitantes artistas da cena atual.

Mamma Vendeta é sobre musica para amantes da musica, é sobre cinema para os amantes de cinema e sobre verdade para aqueles que sabem conviver com ela. Para aqueles que procuram por algo que seja diferente de sua própria rotina, inquietos por novidades, não existe o tradicional quando o assunto é arte, não existe espaço para valores tradicionais, a arte sempre esteve aqui, mas continuamente em mutação.


Fazem parte da família:

Human Trash
The Blackneedles
Bloody Mary Una Chica Band
Damn Laser Vampires
The Dealers
The Biggs
The Dead Rocks
The Fabulous Go-Go Boy from Alabama
O Lendário Chucrobillyman
The Backseat Drivers
Vermes do Limbo
Hitman One Man Band
Dead Elvis and his Onegrave Band (Disgraceland)
Amazing Oneman Band (Uruguai)
Johnny Walker (US)
The Jam Messengers (US + Brasil)
Hugo Race (Austrália)
Two Tears (EUA)
The Solid Soul Disciples (Brasil e UK) (Brasil + UK)
Black Mekon (UK)
Swampmeat (UK)
Copter (UK)



Com esse time, Mamma Vendetta procura o intercâmbio entre bandas e a sua interação com o público de diferentes lugares e culturas, o que tem ocorrido com turnês dos artistas envolvidos no projeto.

MAMMA VENDETTA E COLDRICE ESTAO UNIDOS PELA NET, NOSSO CONTEUDO TAMBEM ESTA EM WWW.COLDRICE.COM

PARA RECEBER NOSSA PROGRAMAÇAO MANDE EMAIL PARA: contatomammavendetta@gmail.com

6 de fev de 2009

BACK SEAT DRIVERS



MAIS UMA BANDA ENTRA PARA MAMMA VENDETTA:

BACKSEAT DRIVERS


VAI AQUI O RELEASE ESCRITO POR BESO, QUE DIZ TUDO!

EM BREVE MAIS NOVIDADES NA FAMILIA!!!


Vamos pelo fim: pronuncia-se “ril’i:s”.
Não rima com “baek si:t”.
Mas lembra “dr’aiv&”.
Aula de inglês dispensada, entra aqui simplesmente “BSD” e, não por acaso, o som da banda dá pistas do que quer só até onde pode dirigir com três ao mesmo tempo sem as mãos no volante (look mama!), isto é, “one, two, three” trocados por “Bang!” e pau: o Back Seat Drivers começou a tocar desse jeito já faz um tempo desde 2001 e sempre foi assim, cordas entremeadas de baquetas ou batidas surradas de riffs ou... não não não: os GRITOS!!!
Os gritos não vêm primeiro mas ficam forte no tímpano. Fatal, todos tocam forte (entenda o que quiser, mas sempre algo como “mão pra baixo” etc.), todos cantam (alternadamente juntos), todos, digo, os três, tipo, eles... quer saber, cara: é o power trio levado às últimas inconseqüências.
Porra, acho que é isso: a cada nota da música uma necessidade de preencher o lugar inteiro com som bem alto e auto-som como se uma sonoridade desesperada fosse exigida e repassada de um pra outro, pra depois chegar em você, através de você, sem atropelo mas sem largar, e o que prende você é um corpo apenas, com uma cabeça só, metamorfoseado em peças diferentes precisamente encaixadas entre si – sim: entre eles, entre o som, entre você...
Se por um lado possuem influências que vêm desde Bo Didley, passam pela garagem barulhenta desde os 60’s mas não cabem lá apenas e chegam até aqui (até hoje!) mais por atalhos distorcidos que por caminhos suaves do rock, por outro lado o som do BSD se liberta de suas próprias trilhas – que uma vez foram origens – justamente quando exploram uma especialidade bem conhecida porém ainda perigosa: anarquia harmoniosa.
Chama assim porque traz toda a referência “roquenta” que já estava em algum lugar que não importa definir mas que desaparece quando começamos a ouvir a música de suas próprias criações. Não é mágica ou mímica, não lembra palco nem público, não se trata disso porque É PURAMENTE REAL!!! A expressão “ao vivo” é simples e encontra nas apresentações do BSD sua raiz mais profunda: som vivo.
Bem, sabe como é (sabe? (sabe né?!!)) você não vai conseguir ouvir parado e, pode parecer incrível, mas você nunca se cansa... e eles nunca largam você!
www.myspace.com/bsd123

Nenhum comentário:

Postar um comentário